Especialistas projetam desafios que o comércio exterior brasileiro terá em 2023.

Estamos vivendo um momento muito incerto no contexto internacional, com os efeitos do Covid-19 e da guerra na Ucrânia. Teremos muitos desafios internos e externos, apresentamos algumas vulnerabilidades e muitas oportunidades a partir do começo do ano que vem, segundo informações do diretor – presidente do Instituto de Relações Internacionais e Comércio Exterior (IRICE) o embaixador Rubens Barbosa. Participaram do evento Tatiana Prazeres diretora da (Fiesp) e Sandra Rios diretora (Cindes). O evento organizado pelo IRICE, trouxe perspectivas desafios e oportunidades. Foram discutidos os aspectos e elementos que incidem ou que possam incidir sobre o comércio exterior brasileiro, incluindo acordo entre Mercosul e União Europeia, a parceria com a China, meio ambiente entre outros. Tatiana trouxe as perspectivas da Fiesp para o comércio exterior brasileiro no próximo ano. Segundo ela, o efeito-preço afetou tanto exportações quanto importações, e é um fator importante para se entender o comércio exterior no Brasil dos últimos dois anos. Sandra disse que a perspectiva para a economia mundial para os próximos dois a três anos não é promissora. “o novo governo no Brasil vai coincidir com um cenário internacional bastante desaquecido”.


13 visualizações0 comentário